{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Horas : 07:11 (pm)

Data : 25/02/2018

CIRE

 

 

cire    CIRE ou Código da Insolvência e da Recuperação de empresas é o diploma legal que regula a insolvência e recuperação de pessoas singulares e empresas. É possível consultar o CIRE através deste link: CIRE - consultar.

 

    Assim, o CIRE ou Código da Insolvência e da Recuperação de empresas regula a:

insolvência pessoal;

insolvência de empresas;

- recuperação e revitalização de pessoas singulares, através do processo especial para acordo de pagamento (PEAP);

- recuperação e revitalização de empresas, através do processo especial de revitalização (PER);

 

    O Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas entrou em vigor em 2004, pelo Decreto-Lei n.º 53/2004, de 18 de Março, tendo entretanto sofrido diversas alterações. A última dessas alterações ocorreu em Julho de 2017, com a entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 79/2017, de 30 de Junho, diploma que alterou profundamente o CIRE e que foi aprovado no âmbito do Programa Capitalizar.

 

    Ora, o Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas já tinha sido profundamente alterado em 2012, com a entrada em vigor da Lei n.º 16/2012, de 20 de Abril, aprovada no âmbito do Programa Revitalizar. Muitas das soluções normativas deste diploma foram impostas pelo Memorando de entendimento celebrado entre o Estado Português e o BCE, a Comissão Europeia e o FMI.

 

    Ora, nos termos da atual redação do art. 1.º, n.º 1 do CIRE o processo de insolvência tem sempre como finalidade a satisfação dos credores. Simplesmente, a Lei refere dois meios alternativos para alcançar essa finalidade: a aprovação de um plano de insolvência baseado, nomeadamente, na recuperação da empresa do devedor ou a liquidação do seu património.

 

    Antes de 2012, porém, o CIRE declarava que a finalidade primordial do processo de insolvência era a liquidação do património do devedor e a repartição do respetivo produto pelos credores. Era a consagração expressa do sistema da falência – liquidação.

 

     Na redação do novo art. 1, n.º 1 o legislador quis claramente privilegiar mais o recurso à revitalização em detrimento da liquidação. Porém, o regime jurídico do CIRE quanto ao processo de insolvência permaneceu, no essencial, inalterado. Daí que, na prática continue a vigorar o sistema da falência - liquidação. Ressalva-se, contudo a existência de dois processos especiais destinadas à revitalização e recuperação dos devedores:

- o processo especial para acordo de pagamento (PEAP), para as pessoas singulares; e,

- o processo especial de revitalização (PER), para as empresas.

 

 

Artigos relacionados:

 

      -  Processo de insolvência

      -  Processo especial para acordo de pagamento (PEAP)

      -  Processo especial de revitalização (PER)

 

 

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}